SEGURANÇA E RESPONSABILIDADE NO MONTANHISMO

Subindo a Carrasqueira no RJ

Carrasqueira – Pedra da Gávea (PNT)

O montanhismo é uma das diversas modalidades de esportes praticadas em montanhas por todo o mundo, atinge graduações de dificuldades diferentes e engloba trilhas, travessias, acampamentos, escaladas e outros. É um esporte que atende todas as idades e classes sociais.

É muito agradável e saudável mas, ao mesmo tempo, envolve riscos pelo seu próprio ambiente natural e outros que devem ser controlados, além do participante ter todo o respeito com a natureza, não degradando ou deixando qualquer tipo de rastros, como pichações, lixos, nomes em árvores, etc.

Todo o estado do Rio de Janeiro é muito privilegiado pois, existem muitas montanhas impressionantes favorecendo a prática dessas atividades, como a Floresta da Tijuca, Pão de Açúcar, Parque Nacional Serra dos Órgãos, as Praias Selvagens em Barra de Guaratiba e muitos outros.

Iniciar no montanhismo é simples, porém muitos problemas tem se tornado frequentes, alertando a comunidade mais experiente e dedicada ao montanhismo, a fornecer subsídios legais e honestos à cultura da prática com atenção na segurança, visto que no Rio de Janeiro é comum pessoas com pouquíssima, ou até mesmo nenhuma experiência, montar grupos de amigos completamente leigos e levá-los em lugares onde nem sempre o acesso é simples colocando os integrantes do grupo em situações de risco completamente desnecessárias, podendo acarretar acidentes sérios, inclusive levando-o a morte. Irresponsabilidades como estas são percebidas praticamente todos os finais de semana na “Carrasqueira”, um trecho da trilha na Pedra da Gávea.

As pessoas que se responsabilizam como guias, devem ter total consciência de quem são os integrantes do grupo, suas limitações, cuidados, além de ter consigo obrigatoriamente um kit de primeiros socorros.

Todos os guias e participantes devem fazer um planejamento antes de ir para a montanha, como por exemplo, ver previsão do tempo, distância e tempo de duração aproximada da trilha incluindo ida e volta, se é necessário o auxílio de corda, saber dar pelo menos o nó 8 duplo, para caso seja necessário fixar uma corda, ter na mochila sempre uma head lamp (lanterna de cabeça), quantidade de água adequada, um bom lanche, um casaco ou anorak(capa de chuva que também protege do vento) e, obrigatoriamente, todos os participantes devem estar calçados com tênis ou bota de caminhada – (chinelo e sandália não são apropriados para trilhas pois aumentam, consideravelmente, a possibilidade de uma torção de tornozelo). As roupas usadas devem ser leves e confortáveis, como por exemplo, as utilizadas em academia para malhar. Saias e “sandálias” não são apropriadas para a prática do montanhismo apesar de, óbvio, eu já ter visto várias vezes mulheres utilizando essas vestimentas em trilhas, incluindo trilhas onde é necessário escalar em alguma parte. É primordial os grupos serem pequenos, respeitando a capacidade do local e nunca utilizarem atalhos, pois, ao criar atalho, além de aumentar a probabilidade de se perder, também degradam o meio ambiente.

Um assunto polêmico: Quando se encontra um grupo completamente despreparado esperando uma “carona” em um trecho da trilha que seja necessário o uso de corda para subir e descer, devemos ajudar este grupo ou não? A resposta é simples: “O correto é ajudar a subir quando se responsabiliza, obrigatoriamente, também pela descida”! Devemos ser solidários sempre, não só na montanha, mas sempre que for preciso!

Caso você não se responsabilize pela descida deste grupo, despreparado, é imprescindível que não o ajude a subir, pois é comum em casos assim, grupos despreparados passarem a noite, presos na montanha, com fome, sede e frio por não conseguir descer o trecho onde recebeu ajuda para subir.

Cúme da Carrasqueira - Pedra da Gávea

Equipe feliz pela conquista com seguraça

É errado ajudar somente a subir, pois ao fazer isso, no lugar de ajudar, você está colocando este grupo despreparado em riscos sérios e que podem ser fatais. Deve-se explicar, gentilmente, o por que não poder ajudar e além disso recomendar que eles não insistam em “pegar carona” com outras pessoas que os ajudarão somente na subida.

É importante lembrar também que a escalada é um esporte radical; não é como uma simples trilha, que muitas vezes é possível praticar sozinho mesmo indo pela primeira vez. A escalada deve ser iniciada e praticada com auxilio de pessoas altamente qualificadas e experientes, onde ensinarão da maneira mais correta todos os procedimentos de segurança detalhadamente, além de ensinar também sobre como se comportar na montanha, a ética do montanhismo e educação ambiental. Os instrutores de escalada devem ter instrução de autorresgate e noções de primeiros socorros.

Devemos lembrar que as montanhas são as casas de muitos animais e todos eles merecem o nosso respeito, não sendo incomodados com barulhos ou até mesmo em seus próprio ninhos.

Os galhos (finos) de árvores não devem ser utilizados como um apoio, pois a possibilidade deles se partirem é grande e isso além de propiciar tombos, também é uma espécie de degradação. Caso seja necessário se apoiar com as mãos, procure árvores mais largas ou bico de pedra e caso a árvore seja fina, segure-a mais próximo às raízes, onde será um apoio firme.

Vale lembrar, também, que um bom guia planeja e faz de tudo para que o passeio seja bem sucedido mas ao mesmo tempo deve estar preparado para os imprevistos.

Uma opção para se iniciar corretamente no montanhismo, principalmente para as pessoas que não desfrutam de amigos com experiência nessa área, é procurar um clube excursionista ou empresas sérias que operem com o guiamento de trilhas e com instrução de escalada.

Os clubes excursionistas e empresas particulares têm bastante experiência no montanhismo e são preparados para atender com segurança e responsabilidade além de ensinar tudo que é preciso para o iniciante começar da melhor maneira possível.

No Rio de Janeiro existem vários clubes excursionistas dispostos a ajudar (CEL, CEC, CERJ, CEG) e, uma boa opção de empresa particular que atua com o turismo de aventura e instrução de escalada, aqui no Rio de Janeiro, é a Kmon Adventure (www.kmonadventure.com.br).

Este artigo não foi construído para monopolizar as montanhas e nem os montanhistas e sim para passar informações importantes referente à segurança, responsabilidade, planejamento e educação ambiental, além de ajudar a qualificar os montanhistas.

Texto:
Fábio Magrão
(Coordenador da Kmon Adventure)

2 respostas
  1. vanessa
    vanessa says:

    Uma das atividades mais completas é o montanhismo, relacionando melhora na aptidão física, contato direto com a natureza e paisagens indescritíveis! Uma aventura que exige profissionalismo e segurança…
    Excelência no padrão de segurança e atendimento..

    Responder

Deixe uma resposta

Want to join the discussion?
Feel free to contribute!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *