CARRASQUEIRA – PEDRA DA GAVEA

(Rio de Janeiro – Floresta da Tijuca)

Carrasqueira – Pedra da Gávea

A CARRASQUEIRA é um local na Trilha Pedra da Gávea, que fica na Floresta da Tijuca – Rio de Janeiro.

A Pedra da Gávea é uma das montanhas mais famosas e cobiçadas do Brasil.

É o maior bloco de pedra a beira mar do planeta e seu cume atinge 844 metros de altitude. Para alcança-lo existem três trilhas de acesso e uma delas é a subida pela Carrasqueira.

A Carrasqueira é um trecho de escalada de nível fácil, mas ao mesmo tempo muito exposto de mais de 30 metros de altura. Muitas pessoas subestimam a Carrasqueira e acabam se acidentando seriamente, inclusive levando a morte.

Guia Profissional

Cume da Pedra da Gávea – RJ

Quem somos:

Trilha Pedra da Gávea – Carrasqueira

(Floresta da Tijuca – Rio de Janeiro)

Trilha Pedra da Gávea passando pela Carrasqueira

A trilha que passa pela Carrasqueira – Pedra da Gávea inicia na Barrinha. É a trilha clássica e mais utilizada para se chegar ao cume da Pedra da Gávea.

Como é a trilha mais frequentada da Pedra da Gávea, possui um fluxo de pessoas bem grande, principalmente nos finais de semana e feriados.

Existem diversos trechos delicados onde é necessário utilizar as mãos e sem dúvida o mais difícil e perigoso é a subida da Carrasqueira.

Nós que estamos nessa trilha toda semana já assistimos diversos acidentes em que as pessoas acham que conseguem subir / descer sozinhos e sem equipamentos e acabam caindo.

Quando uma pessoa cai, normalmente ainda faz o “efeito boliche” e acabam derrubando diversas outras pessoas, infelizmente.


A trilha da Pedra da Gávea passando pela Carrasqueira até o cume, tem 3,8 km de extensão e um desnível de 844 metros, que é o mesmo da altitude.

Do início da trilha até a famosa Praça da Bandeira a trilha é sempre na sombra com diversos obstáculos naturais e gasta-se facilmente 1,5 horas para chegar. Após passar pela Praça da Bandeira já fica mais exposta ao sol e ao mesmo tempo favorece paisagens fantásticas! Este último trecho não dura nem 15 minutos. É super rápido e fácil, então mesmo que não tenha a pretensão de subir a Carrasqueira, vale super a pena chegar até a base, pois já tem uma paisagem espetacular!

Rio de Janeiro

Descendo ao lado da Carrasqueira.
Total Segurança!

ACIDENTES NA CARRASQUEIRA – PEDRA DA GÁVEA)

Cume da Pedra da Gavea – RJ

Como já relatamos mais acima, a Pedra da Gávea é a montanha/trilha com o maior índice de acidentes do Brasil, inclusive acidentes fatais. Isso devido a Carrasqueira e outros lances nessa trilha.

A maioria dos acidentes acontecem na Carrasqueira com pessoas subindo sem segurança e sem guia. Situação muito comum nesse local, ou seja, assim os acidentes são inevitáveis e o índice só irá aumentar cada vez mais.

A melhor dica que nós podemos dar é:

SEMPRE CONTRATE UM GUIA/INSTRUTOR PROFISSIONAL DE ESCALADA

A sua vida não tem preço e é inegociável!

Situações muito comuns que vemos na Carrasqueira com pessoas sem Guia/Instrutor profissional:

  • Pessoas sobem até uma parte e não conseguem continuar e ficam paralisadas e em pânico;
  • Pessoas caindo e derrubando outras pessoas logo abaixo (o mais comum);
  • Pessoas que sobem e não conseguem descer e não obrigado a passar a noite na montanha (com fome, sede e frio);
  • Pessoas caindo e tendo fraturas (inclusive expostas) ao baterem nas pedras de baixo;
  • Pessoas caindo e morrendo por baterem a cabeça nas pedras;

e diversos outros acidentes e problemas.

Observação:

Não vamos divulgar fotos das pessoas acidentadas em respeito as famílias. Mas ao procurarem no google é possível ver que esta lista acima é real, infelizmente.

Abaixo segue um relato de um caso especial feito pela namorada do empresário Wagner Pisk, de 28 anos que infelizmente caiu e acabou morrendo na Carrasqueira:

RELATO DE ACIDENTE FATAL FEITO PELA NAMORADA

ACIDENTE COM MORTE NA CARRASQUEIRA

“Primeiramente, em nome da Marlene, de toda a família Piske e em meu nome, gostaria de agradecer por todas as mensagens, palavras e gestos de apoio nesse momento tão difícil. Do fundo do nosso coração. Tenho certeza que o Piske está muito feliz em ver quanta gente o ama.

Ainda, a título de esclarecimento, me senti no dever com todos vocês em finalmente contar o que realmente aconteceu. E peço que compartilhem, pois é triste escutar tantas histórias equivocadas que pessoas que não sabem de nada acabam espalhando. Obrigada…..

Eu e o Piske estávamos no nosso segundo dia de passeio pelo Rio de Janeiro. A gente sempre gostou de uma aventura e resolvemos fazer a trilha da Pedra da Gávea. Pois bem, depois de 2 hrs e pouco chegamos lá no topo…. Foi aquela sensação de dever cumprido, imagina… QUE TRILHA!! Foi tudo bem na ida, fizemos algumas paradas, tomamos água, revezamos a mochila.. Chegamos na famosa pedra, estávamos só nós dois.. tiramos a roupa, estávamos suando, pingando na verdade.

Tomamos mais água, comemos umas bananas, descansamos, demos umas risadas e tiramos algumas fotos (imagem a seguir). Depois de um tempo lá em cima nos aprontamos para descer a trilha. Ficou combinado que no primeiro trecho da volta eu levaria a mochila, e ele levaria na segunda parte.

Começamos a descer, Piske na frente, e eu atrás, como uma fila de índio. Depois de uns 10 minutos de caminhada da volta, chegamos num trecho mais complicado, que tem bastante pedra (já havíamos passado por esse trecho para subir), e que se chama Carrasqueira (vim a saber desse nome só depois).
Por sorte, tinha um grupo de rapazes que estavam subindo esse trecho da trilha nesse mesmo momento, o Piske até trocou algumas palavras com o cara que estava tentando subir, a distância não era grande.

Foi uma fração de segundos enquanto estávamos descendo a Carrasqueira quando o Piske escorregou ou tropeçou (e eu falo assim porque eu REALMENTE não vi o que aconteceu com o PÉ dele), e rolou por uma distância de mais ou menos uns 10 metros, e foi “parado” por uma pedra que tinha ali no caminho.
Ele deve ter “rolado” umas duas vezes antes de parar/ bater na pedra “final”. Eu fiquei maluca, deu pra ver já que estava inconsciente, gritava e ele não levantava. Então joguei a mochila e desci a pedra rapidamente me arrastando de bunda até ele.

Os meninos logo vieram ajudar, tinha muito sangue e ele estava parado. No mesmo momento ligamos para os bombeiros pedindo socorro, emergência, instruções de primeiros-socorros. Eu não tinha condições de falar, foi um dos meninos que falou ao telefone. Ele foi instruído a ficar segurando a cabeça dele até os bombeiros chegarem, e a não mexer o corpo para não correr o risco de fraturar mais. Pessoal.

Ele faleceu na hora, provavelmente na primeira “rolada” que ele deu, ou então quando bateu na pedra “final”, mas eu não conseguia pensar na simples possibilidade dele já estar morto, só gritava, pedindo por socorro, segurava na mão dele pedindo pra ele ser forte e pra ele ficar comigo, rezava, passava a mão dele, enfim, esperando o resgate com a esperança de tirar ele dali e levar pra um hospital e deixar ele bonzinho. E também, eu tremia muito, tentava ver o pulso dele e sentir o coração pra ver se estava respirando, mas não conseguia sentir devido ao meu corpo estar muito agitado.

Um dos meninos que estava ajudando a segurar a cabeça dele no lugar volte e meia falava que sentia que ele estava respirando sim, mas com dificuldade, não sei se ele falava isso pra me confortar (sabendo que ele já não respirava) ou se ele também mal conseguia sentir os batimentos dele. Os bombeiros chegaram por volta de 1 hora depois. Ligamos para eles diversas vezes antes de chegarem.

Foi agonizante e desesperador esperar esse tempo, demorou muito! Com o Piske lá, piorando cada vez mais (ao meu ver). Quando eles (bombeiros) chegaram, solicitaram para que eu terminasse de descer a trilha pois ficar ali não ajudaria em nada e eu não podia ir com eles, e também, estava ficando escuro e ainda restava umas 2 horas para chegar ao final. Terminei de descer, acompanhada de outros trilheiros que chegaram na Carrasqueira enquanto o resgate não vinha, cheguei lá em baixo e fiquei esperando com os seguranças do parque e alguns bombeiros.

Na verdade, ele não ia ser resgatado por um helicóptero (como eu pensei), pois não tinha aonde o helicóptero parar por ali. Então, na verdade, eles estavam descendo a trilha com ele. O acidente ocorreu um pouco antes das 17 hrs. Por volta as 21 hrs eu ainda não tinha notícias, eles ainda estavam na trilha. Mas sabia que os bombeiros já haviam ligado para os meus pais. Ninguém me falava nada.

É claro que já comecei a imaginar, como iam estar trazendo ele machucado por aquela trilha durante horas, pra chegar e levar ele no hospital? Enfim, às 22, quando avisaram que os bombeiros já estavam terminando a trilha e chegando com ele, foi que finalmente me contaram a verdade. Gente, ele teve um traumatismo crânio encefálico e diversas fraturas no crânio, e faleceu na hora, sem dor.

Eu não consegui perceber ou acreditar isso no momento do acidente. Mas hoje é um alivio saber que ele não sofreu, e foi sem dor, em paz. Agradeço a Deus por ter levado ele sem sofrimento, e por ter permitido que estivessem pessoas do bem pra me ajudar ali naquele momento, e mais, por ter me escolhido pra ser a pessoa que passou os últimos momentos felizes da vida dele junto a ele.

Piske eterno. Você iluminou minha vida com esse seu jeito tranquilo, leve e feliz de lidar com as coisas. Você me fez feliz, me fez sentir cuidada e amada. Você foi literalmente meu porto seguro. Você foi o cara. Descanse em paz, meu amor. E como você mesmo diria.. “no final, tudo vai ficar bem”.

CUME DA PEDRA DA GAVEA

(Mesa, cabeça do Imperador e Pedra do Raio)

Cume da Pedra da Gavea – RJ

O cume da Pedra da Gavea é enorme e possui diversos mirantes e com vários ângulos para tirar altas fotos!

Ele é dividido em dois setores que são eles: Mesa e Cabeça do Imperador.

Para facilitar, na foto ao lado colocamos círculo verde apontando para a Mesa e o vermelho apontando para a Cabeça do Imperador.

Vamos listar aqui quais são os melhores ângulos para se fotografar na Gavea e também detalhar sobre eles, dando dicas e informações diversas.

Relembrando que deve-se ter muito cuidado ao ficar próximo de precipícios, pois qualquer descuido pode gerar sérios acidentes, inclusive levar a morte. Nenhuma foto vale mais do que sua vida! Então, tenha o bom senso e consciência ao tirar suas fotos.

Como são diversos mirantes e pontos de foto no cume, vamos detalhar um por um, para que seja mais claro. Veja abaixo:

  1. Mesa da Gávea
  2. Cadeirinha da Cabeça
  3. Cadeirinha da Mesa
Rio de Janeiro

Cume da Pedra da Gávea – RJ

Cadeirinha da Gavea

(Cume da Pedra da Gavea)

Cadeirinha da Gavea – RJ

Existem duas cadeirinhas para tirar fotos nesta parte do cume. Uma é mais a direita de frente para a estrada do Joá e a outra mais para a esquerda, de frente para o Morro Dois Irmãos e Zona Sul.

Ambos os lugares deve-se ter total respeito e cuidado para não gerar acidentes. Quem estiver com medo, melhor não se arriscar, porque qualquer desequilíbrio pode ser fatal!

As fotos com o celular ou câmera deitada (paisagem) é a melhor opção para aparecer mais um pouco de tudo. Claro, que o enquadramento de quem está fotografando é muito importante também.

As fotos em posição de retrato, com o celular ou câmera em pé é bom para as postagens no Instagram. Fazer stories por exemplo. Por falar nisso, você já está nos seguindo no Instagram?? Então segue aí @KmonAdventure para receber altas dicas da Pedra da Gavea e diversos outros lugares do Rio.

Cadeirinha – Mesa da Pedra da Gávea – RJ

Paredão da Pedra da Gávea

(Cume da Pedra da Gavea)

Paredao da Gavea – RJ

Ainda no Cume da Pedra da Gávea, existe um lugar conhecido como Paredão. Este local se encontra mais a esquerda, de frente para a Pedra Bonita. A pessoa precisa virar para a Pedra Bonita e quem for fotografar precisa ficar a esquerda. Este ângulo é bom para pegar a parede embaixo até o mar e a modelo pessoa em cima.

Mais uma vez, ambos devem ter cuidado, tanto a pessoa sendo fotografada como também a pessoa que está fotografando. Ambos estarão próximos do precipício e devem ter 100% de cuidado para não gerar acidentes.

Neste ângulo super vale a pena bater as fotos tanto em retrato (celular em pé) como em paisagem (celular deitado). São duas fotos com estilos bem diferentes e ao mesmo tempo sensacionais!

@KmonAdventure

Paredão – Mesa da Pedra da Gávea – RJ

Pedra do Raio – Gavea

(Cume da Pedra da Gavea)

Pedra do Raio – Gavea

A Pedra do Raio é uma pedra que se rachou a muitos anos atrás e formou um ângulo como se fosse uma Bigorna, parecida com a Pedra do Telégrafo. A diferença é que esta pedra está a 8 metros do chão e não como o Telégrafo que está a 1 metro.

Dizem que a muitos anos atrás caiu um raio nessa pedra e a partiu em duas, formando uma ótima opção para tirar fotos.

Algumas pessoas se penduram como se fosse baixo. Graças a essas “gracinhas” já houveram diversas quedas com acidentes sérios. Em alguns casos o Helicóptero dos bombeiros consegue resgatar, mas nem sempre é possível ou há tempo suficiente. Então, de forma bem clara dizemos: não faça merda!

Fotografar é legal, mas pôr sua vida em risco e ainda dar trabalho para outras pessoas muito ocupadas é total falta de bom senso!

Umas fotos sentadinho na Pedra do Raio já será sensacional! Não precisa de “gracinhas” para ganhar curtidas e visualizações.

A Pedra do Raio sem dúvida é uma ótima opção para fotos e também para se contemplar a paisagem.

Cume da Pedra da Gávea

Pedra do Raio – Cabeça do Imperador – Gavea

Cadeirinha da Gavea

(Cabeça do Imperador – Gavea)

Cadeirinha da Gavea – RJ

A Cadeirinha da Pedra da Gavea se encontra no cume da Cabeça do Imperador. Algumas pessoas apenas chamam este local de cadeirinha, porquê foi a primeira a ser apelidada com este nome.

Para se chegar até ela é necessário descer um lance de 5 metros segurando uma corrente. Depois é preciso escalar outro lance de 5 metros que está quase sempre molhado. Não tem como montar segurança, pois não há grampos ou árvores para prender a corda.

Depois de passar por esses dois lances, deve seguir lá para o final da pedra, que é onde se encontra esta cadeirinha.

Muito importante, esta cadeirinha não é como as outras, pois é muito mais exposta, perigosa e pequena, com uma parede vertical de mais de 200 metros. É um lugar que não é para qualquer pessoa. Aconselhamos a pessoa estar presa na corda para depois se sentar no mirante Cadeirinha da Gavea. Caso contrário qualquer erro será trágico com uma queda livre de pelo menos 200 metros.

Nós da Kmon Adventure não levamos ninguém neste local. Achamos desnecessário correr este risco, pois um pouco antes é mais seguro e dará uma foto igual.

Quem for se aventurar, muito cuidado e atenção. É comum ainda ter rajadas de vento neste local, o que torna mais perigoso.

Rio de Janeiro

Carrasqueira da Pedra da Gávea

(Pedra da Gavea – Rio de Janeiro)

Carrasqueira – Pedra da Gávea

A Pedra da Gavea é a montanha com o maior índice de acidente do Brasil, inclusive levando a morte.

Boa parte desses acidentes acontecem por causa de um trecho chamado Carrasqueira.

A Carrasqueira é um trecho de 35 metros ao todo com duas passadas mais delicadas e difíceis. O Primeiro é bem no início e o segundo fica no final, que é o mais perigoso.

Vendo outras pessoas experientes passarem, parece ser fácil, mas não se iluda. É muito comum ter pessoas no meio do lance sem saber o que fazer e sem conseguir se mexer.

Algumas pessoas ficam na base esperando alguém passar para ajudar a subir e assim o fazem. Depois o “ajudante” vai embora e a pessoa fica sozinha na montanha sem conseguir descer, sobrando para os bombeiros, que deixam de resgatar em acidentes sérios para atender “marmanjos” que subiu e não conseguu descer da Gavea.

Para quem não sabe, a técnica de descer desescalando é muito mais difícil que subir escalando. Isso acontece porque ao subir se vê todos os pontos de apoio, já descendo não.

Também é comum ver uma pessoa caindo e derrubando outras abaixo, fazendo o “efeito boliche”. Tudo isso parece exagero, mas nós que estamos todos os finais de semana passando por lá, assistimos e tivemos que resgatar diversas pessoas de outros grupos ou sozinho.

Veja toda a subida da Gavea

Deixe seu comentário

4 respostas
  1. FABRICIO PEREIRA CONTIN
    FABRICIO PEREIRA CONTIN says:

    Foi minha primeira trilha. Não sabia como era, e nem que a Pedra da Gavea era uma das mais difíceis da cidade do Rio. Mas foi tudo maravilhoso. Viajei só, porém me senti entre amigos, pois tanto a turma quanto os guias Alex e o Magrao foram sensacionais. O Trabalho da Kmon Aventure é muito profissional . Sucesso pra vcs e até a próxima trilha!!👊😄👏👏👏

    Responder
    • Kmon Adventure
      Kmon Adventure says:

      Olá… boa tarde…

      A idade não tem muito a ver. O importante é como está o preparo físico. Se tem uma vida sedentária ou não. Se faz exercícios aeróbicos ou não. Se fuma ou não, se tem algum tipo de lesão mal curada, etc.

      Nós levamos constantemente pessoas com mais de 60 anos, mas normalmente são pessoas com bom preparo, que estão acostumadas inclusive a fazer corrida de rua, etc.

      Nos chame no WhatsApp que podemos conversar melhor, ok? O número é (21) 979-603-299. Até lá…

      Responder
  2. Nilza Paes
    Nilza Paes says:

    ‘É muita coragem!!
    Várias vzs senti tontura assistindo ao vídeo kkkk.
    A trilha mais alta que fiz, foi a da Pedra do Elefante aqui em Itaipuaçu, aqui onde moro kkk
    Acho que todas se tornam cafés pequenos diante da Pedra da Gávea!!
    Que Deus continue vos guardando tanto na ida, qt na volta de cada trilha!!
    🙏🙏🙏👏👏👏👏👏👏

    Responder

Deixe uma resposta

Want to join the discussion?
Feel free to contribute!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *